Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

O BODE EXPIATÓRIO

 

Era uma cerimónia com o bode emissário do livro de Levítico. Livro de Levítico foi escrito entre 1440 e 1400 AC. ... O objectivo de Levítico era fornecer instruções e leis para orientar um povo pecador, mas redimido, no seu relacionamento com um Deus santo.

No chamado Dia da Expiação, encontrado no livro bíblico de Levítico, os hebreus organizavam uma série de rituais com que pretendiam purificar a sua nação. Para tanto, organizavam um acto religioso que contava com a participação de dois bodes. Em sorteio, um deles era sacrificado junto com um touro e o seu sangue marcava as paredes do templo.

O outro bode era transformado em “bode expiatório” e, por isso, tinha a função ritual de carregar todos os pecados da comunidade. Nesse instante, um sacerdote levava as mãos até a cabeça do animal inocente para que ele carregasse simbolicamente os pecados da população. Depois disso, era abandonado no deserto para que os males e a influência dos demónios ficassem bem distantes.

Ao longo da história percebemos que várias minorias ou grupos marginalizados foram utilizados como “bode expiatório” de algum infortúnio ou fracasso. De certo modo, os judeus foram ironicamente alvo da sua própria tradição. Primeiro, ao serem culpados pela Peste Negra, na Baixa Idade Média, e muito tempo depois perseguidos na Europa pelos movimentos anti-semitas que vigoraram no século XX.

Encontramos no livro de Levítico a narração de uma cerimónia um tanto curiosa na nossa visão religiosa. No Antigo Israel o livro das sagradas escrituras indica-nos o bode usado como símbolo do pecado e da maldade. Esta é para nós uma constatação curiosa, porque entendemos que os cordeiros, eram animais mansos, imaculados os usados nos sacrifícios para expiação dos pecados, no Templo de Jerusalém.

No Antigo Testamento, de entre tantos animais sacrificados para purificar o povo e até como ofertas de louvor (bois, novilhos, pombas, ovelhas). Os bodes, permaneciam vivos, pelos campos e desertos. No chamado dia da expiação em conformidade com o ritual judaico, para o perdão dos pecados, dois bodes entravam em cena: um era colocado à porta do Templo para purificar o santuário e o outro era enviado para o deserto a fim de levar os pecados do povo até ao demónio, ou, noutras palavras:

 

Atentemos na narrativa do texto: de Levítico 16,8-11:

 

"Adão escolheria á sorte dois bodes: Uma sorte pelo Senhor e a outra pelo bode emissário, então Adão faria chegar o bode sobre o qual caíra a sorte do Senhor e oferecia-o para expiação do pecado. Mas o bode sobre o qual cair a sorte para ser emissário apresentar-se-á vivo perante o Senhor, para fazer a expiação com ele, enviando-o para o deserto como bode emissário." (Levítico 16,8-11)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.