Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

O 150.º aniversário do aparecimento

 

 

Da Imagem de Nossa Senhora da Rocha, vai completar-se este ano de 1972. 

A este acontecimento, estão ligados para sempre grandes nomes da nossa história. Serão de mencionar os reis D. Miguel, D. Pedro V, e D. Luís, pelo muito carinho e devoção que lhe dedicaram, e o poeta Tomás Ribeiro que foi um dos maiores, ou mesmo o maior, impulsionador da construção do Santuário e áreas circundantes.

Em finais do século XIX, acorriam a este Santuário pessoa vindas de Lisboa e outros lugares da região como por exemplo de Mafra, que traziam todos os anos um vistoso veado para ser leiloado. 

Os festejos de Nossa Senhora da Rocha tornaram-se famosos e o culto da Virgem terá aumentado a fé nos povos da região. Durante os dias de festa, o recinto enche-se de animação e de peregrinos para venerarem a Mãe de Deus.

 

Com os meios arrecadados nas festividades, acabou por ser erguido um busto a Tomás Ribeiro junto ao Santuário, num ato de justa homenagem.

 

O último quarto do século XX foi para o Santuário da Rocha de altos e baixos. Podemos dizer que este período começou marcado novamente pela instabilidade política devida à " Revolução de Abril/74", e que tal tipo de instabilidade nunca foi benéfica para a atividade religiosa e espiritual.

Em clima de exaltação reivindicativa e social, parece não haver espaço para outras manifestações, nomeadamente para as de natureza espiritual.

É exactamente neste período pós-revolução, que mais se acentuou a proliferação das barracas em redor do Santuário e com ela a degradação de toda a sua área envolvente, mais exactamente o jardim, lago e terrenos anexos.

Relativamente ao edifício do Santuário, o tempo ia-se encarregando de lhe infligir danos acentuados.

 

Em Portugal os católicos poderão obter indulgências visitando os Santuários escolhidos pelos bispos das várias dioceses. Entre os Templos escolhidos das Dioceses de Lisboa e Porto, para o Ano Mariano de 1988, está o nosso Santuário da Rocha.

Tal escolha trouxe-lhe uma inevitável necessidade de renovação, quer de estruturas quer sobretudo de animação espiritual e pastoral.

As Festas Anuais que se vinham esvaziando de conteúdos religiosos, habituando a maioria das pessoas a chamar-lhe simplesmente de "Feira da Rocha", tiveram neste período um brilho religioso a lembrar os seus melhores tempos.

 

Ultrapassado este Ano Mariano, o Santuário continuou a sua lenta degradação interior e exterior. O estado da ribeira do JAMOR não destoava, apresentando elevado nível de poluição e um leito dominado por extenso matagal.

Algumas obras levadas a cabo na área do "Complexo Desportivo do JAMOR", mais evidenciavam o desleixo que reinava no Sítio da Rocha.

Os anos noventa do último século iam chegando ao fim. Outro acontecimento religioso de grande prestígio começava a ser falado e tal como no Ano Mariano também agora, a caminho do Grande Jubileu e das comemorações dos dois mil anos da Encarnação do Verbo Eterno de Deus, o Santuário da Rocha voltou a ser um dos escolhidos pelo Senhor Patriarca de Lisboa como um dos Templos Indulgenciados.

Se a notícia foi recebida nas freguesias vizinhas com grande alegria, o peso das responsabilidades voltou a trazer alguma inquietação, tanto no que se refere à actividade religiosa reduzida ao mínimo, como ao estado geral de degradação em que a Rocha se encontrava.

As preocupações vinham a público de mãos dadas com apelos de ajuda, já que a Irmandade da Senhora da Rocha, por muito que desejasse, não tinha recursos para dar solução aos inúmeros problemas.

Antecipadamente se sabia que o nosso Santuário iria ser meta de muitos milhares de cristãos durante o Jubileu do ano santo de 2000 e nas celebrações da passagem dos dois mil anos sobre o nascimento de Cristo.

O Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Rocha, Santuário Jubilar, está situado na nossa freguesia de Queijas e bem junto à nossa Linda - a - Pastora, motivos por que todos os habitantes lhe dedicam muito carinho e devoção comprovados no coração de ouro que é ostentado no brasão da freguesia.

Foi com muita alegria e empenho que a freguesia de Queijas assistiu ao realojamento das muitas dezenas de famílias que ali habitavam em condições mais que desumanas.

Porém, ainda muito havia para fazer não sendo pois de estranhar a preocupação revelada pelo presidente da Junta ao fazer uma visita a todo o espaço do Santuário e enviar para publicação do órgão camarário o artigo que se transcreve:

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub