Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

ELOGIAR E SER ELOGIADO

 

Decerto sabemos que os elogios beneficiam mutuamente quem os faz e quem os recebe. Desde que os dois lados, de per si, saibam como elogiar, bem como, receber esses elogios.

Saber receber elogios

Existem pessoas que não se sentem à vontade ao receber um elogio e aceitam-no com alguma dificuldade. Seja por desconfiança ou por não compreender o seu alcance.

Normalmente, terminando por balbuciar: “Não será exagerado aquilo que acaba de me dizer?” ”Tudo o que referiu é meu hábito fazer, sem qualquer segunda intenção.

É, deveras importante ser inteligente e cuidadoso na aceitação de um elogio, tanto por quem o faz, como por quem o recebe.

Podemos mesmo comparar um elogio a um presente, que alguém nos oferece

Se o recebemos, devemos agradecê-lo e reconhecê-lo (dizer, por exemplo, "bem haja pelo elogio, fico satisfeito/a por saber que apreciou o meu trabalho"), bem como retribuí-lo assim que surja uma oportunidade, embora sem obrigatoriedade.

A arte de oferecer elogios

Nestas coisas, não pode haver qualquer rigidez no procedimento, pois tudo tem de estar em conformidade com as circunstâncias.

Não há uma fórmula certa para o fazer, pois o elogio depende muito das circunstâncias. Existem, porém, alguns princípios que importa ter em atenção. Assim, os elogios devem ser:

Específicos no conteúdo

Os elogios devem transmitir reconhecimento por uma habilidade nata, ou por um comportamento que tenha angariado um resultado positivo específico, sem mencionarmos a pessoa em si mesma. Devem evitar-se generalizações do tipo "trabalha muito bem" ou "é uma pessoa especial".

- Delicados na forma

Os elogios devem fazer-se com palavras positivas, evitando superlativos que os tornem artificiais e não se fazerem acompanhar por uma crítica ou outra atitude depreciativa (nem atitudes intimistas). Um elogio escrito à mão ou feito cara a cara, tem muito mais impacto do que aquele que é enviado por mensagem

Dados no momento certo

Os elogios devem ser dados no momento em que ocorre o desempenho do ato, bem como repetidos com alguma frequência, para que constituam um reforço positivo da atuação em causa.

Assim, tudo fica a parecer fácil de dar e receber e os seus efeitos são gratificantes para nós e para os outros. Resta transformá-los num hábito quotidiano.

Então, quem vai elogiar hoje? Nunca o faça para conquistar alguém, nem por pura manipulação. Mas sim, para ajudar alguém