Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

AS DESIGUALDADES SOCIAIS

 

Caros amigos, Portugal é um País fechado, ou seja, será enquanto for governado por uma elite saída do 25 de Abril de esquerda e de direita, com vícios e com um sistema controlado por eles próprios, não vamos a lado nenhum.
Os investidores estrangeiros todos os dias dizem o mesmo, entrar em Portugal é difícil pois a burocracia e as leis estão sempre a mudar, (por alguma razão).

Veja-se o que se passou com o fenómeno das auto-estradas. O país ficou retalhado com vias rápidas por todos os cantos! Elas, não contribuíram nada para o desenvolvimento do interior, tão pouco para o desenvolvimento do país. Somos na Europa o país com mais auto-estradas por quilómetro quadrado! Como efeito deste triste investimento público, ficámos empenhados por várias dezenas de anos e, com este dinheiro, teríamos feito dezenas de estradas no interior, de forma a estancar as centenas e centenas de fogos devastadores. Razão pela qual dá vontade de rir, ouvir falar em “reforma da floresta”.

Portugal precisa sim de muito dinheiro, mas sabendo de onde ele vem e para onde vai. Ou seja, não podem lançar mais e mais impostos. Com tais impostos atrofiam a vida dos cidadãos (menos na miséria) e a própria economia de onde deveria vir a riqueza para investir em mais economia e aliviar a vida dos cidadãos. Também precisamos de um Estado Mínimo, mas só isso, de modo a aliviarmos os impostos que retiram competitividade à nossa economia tão enfraquecida!

De seguida, passemos uma vista de olhos pela nossa sociedade: “ Portugal é o campeão na EU da desigualdade! Tudo se agravou entre 2000 e 2004, como facilmente se compreende, pela entrada da Troika a pedido do governo socialista, salvou-nos da bancarrota, mas amarrou-nos à austeridade.

Passeando pela rua ou pelos cafés, ouvimos relatos como estes:

“Maria Cachada tem 84 anos e a reforma de 84 euros que recebe mal chega para “ir sobrevivendo” num espaço que foi para animais e que reparte com um filho de 56 anos, que vive com cinco euros/mês, tal como vivem 2% da nossa população portuguesa, denuncia o relatório social da Europa ontem divulgado em Bruxelas.

Não adianta fazer como nos fogos, esconder as muitas e antigas causas deste estado vergonhoso. Se formos pelo país fora, encontramos milhares e milhares destes casos. O pior, muito pior, é que Portugal tem uma economia sem qualidade ou vigor. Em Abril destruiu-se muito daquilo que tínhamos de bom. Agora estão a tirar a quem tem pouco, para dar aos que nada têm. Resultado: aumenta o número de infelizes!

A maior reforma a fazer terá de vir do Estado que temos, um Estado esbanjador e cheio de mordomias! Acabem-se logo com injustiças destas, e sejam socialistas para todo o povo português, sem pensarem em votos. Igualdade de horas de trabalho para todos. Depois, invistam na economia sem idealismos bacocos!

Não é empresário quem é licenciado, mas quem nasceu para tal. De outro modo o nosso Ronaldo nunca seria considerado o melhor jogador de futebol do mundo! Por último, cheguem a um consenso nacional com o objectivo de sanearem os partidos de alto a baixo. De outra forma não vamos lá. Cada vez haverá maior desigualdade, com geringonças ou sem elas!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.