Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

A GRANDE VIAGEM NO TEMPO

 

A política é essencial. Por isso, uma sociedade que a despreze expõe-se a graves riscos. Em todos os seus domínios: educação, família, economia, ecologia, cultura, saúde, protecção social, justiça ….De modo que haja uma efectiva relação activa entre a política e a vida quotidiana dos cidadãos.

A melhor universidade é o mundo e os professores são gente sem mácula, são o decorrer do tempo de vida e as inúmeras lições que nos deixam para reflexão! Elas serão milhares, mas podemos começar por uma qualquer, para podermos constatar que o mundo não pára, faz e parece desfazer, constrói e desconstrói, etc. Numas vezes será evolução e noutras acabarão em retrocesso!

Facilmente, encontraremos entre nós, muitos jornalistas que tiveram que se adaptar a múltiplas evoluções, não diremos no seu dia-a-dia, mas seguramente na sua carreira.

Chegados à reforma, em períodos de mais apego ao pensamento, ser-lhes-á fácil traçar a forma como o mundo arrasa e logo alterna. Recuemos uns cinquenta anos e avancemos ao longo de uma vida e constataremos como tudo se transformou tão depressa, na imprensa.

Na linguagem destes profissionais todos tiveram que conviver com os famosos “linguados”, simples rectângulos para os jornalistas não poderem ultrapassar a dimensão permitida pelas redacções. Assim, chegaram aos nossos jornais e revistas, milhares de opiniões entregues aos editores e impressoras. Mais adiante, os “linguados”foram substituídos pelas disquetes. Delas, os editores retiravam os textos e devolviam as disquetes para nelas incluírem o trabalho da semana seguinte. Aparentemente, terá sido uma grande evolução. Só que, certo dia, depararam-se com a famosa internet. Escreviam o texto em casa e enviavam-no por email à redacção! Com alguma adaptação técnica à mistura, tinham-se acabado as relações pessoais. Entretanto, os emails invadiam o mundo e a Internet resolvia tudo. Muito mais à frente os próprios jornais resolveram desmaterializar-se. O papel seria substituído pelo monitor. Tudo tinha sido mais rápido e a normal leitura de jornal em papel, haveria de desaparecer!

Aqui começa e vai continuar, assim parece, a morte lenta dos jornais e revistas, em papel.

Deu-se início a um novo jornal. Os tempos mudaram. Que mundo novo é este dominado pelo virtual?

Muita coisa ficou para sempre dentro desta gente de trabalho! Aos poucos, novas gerações chegarão, na certeza porém de que lhes irá acontecer o mesmo, a “Viagem” também passará por cima deles e depois por cima de outros e outros -etc. Sem esquecermos milhares de realidades que nos pareciam imutáveis e que desapareceram, modificando-se como tudo o resto. O tempo e a lonjura da distância percorrida, será certamente o infinito.