Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

BASTANTE DESANIMADOR!

Não há uma sem duas….

Nem duas sem três  ou …quatro ….

1 º O pesadelo escolar

O Estado não tem dinheiro para mandar reparar escolas onde chove nas salas ou onde os alunos tremem de frio e ninguém se espanta. O Estado, aliás, está agarrado a contratos leoninos com a “Parques Escolar” em 69 escolas onde gasta mais de 40 milhões por mês, apesar de ser notório o incumprimento da outra parte, mas já nem o BE ou o PCP se incomodam.

A secretária de Estado Alexandra Leitão tem feito um esforço meritório para enfrentar os problemas, mas a herança deixada pela megalomania dos governos de Sócrates não deixa grande margem. A “festa”, como dizia a ex e incompetente ministra Lurdes Rodrigues sobre a Parques Escolar, acabou em pesadelo.

CM- Eduardo Dâmaso

2 º “200 Escolas precisam de obras com urgência”

CM – Há muitas escolas em Portugal com problemas?  

AR- _ Existem mais de 200 escolas a nível nacional a necessitarem de obras com urgência, de forma a evitar tragédias. Além disso, se investissemos na sua requalificação, evitava-se a emigração de milhares trabalhadores da construção.

CM – Qual a importância do investimento do Estado na requalificação das escolas para o sector da construção?

-Com a requalificação do Parque Escolar, evitava-se que mais de 10 mil trabalhadores saíssem do País. Se o sector da construção é tão importante, como apregoa o primeiro-ministro, então vamos apostar nele e na preservação do património do Estado que é de todos?

AR- É claro que quando me refiro a obras em 200 escolas sei que não é possível serem realizadas todas ao mesmo tempo. É necessário começar por aquelas em que o estado de degradação é mais visível e depois nas outras, de forma faseada. O dinheiro é público e tem de ser bem aplicado.

Presidente do Sindicato da Construção de Portugal - AR

3 ª Paixão pela educação

A degradação para além do admissível do Liceu Alexandre Herculano, no Porto, tem anos. Mas só na semana passada mereceu atenções nacionais e até teve honras de discussão parlamentar. Já, estamos, infelizmente habituados a estes números de inspiração circense, mas não deixou de surpreender todos falarem sem corar de vergonha. O PSD foi responsável por adiar as obras e, sobretudo, por não mais ter retomado o assunto. O PS  já está no poder há tempo suficiente e em Setembro até teve o alerta e a disponibilidade para negociar com Rui Moreira, mas fez o mesmo que o antecessor; preferiu manter o assunto atolado na burocracia do que iniciar as obras.

Catarina Martins não se indignou: visitou a escola, viu que chovia nas salas mas conformou-se a escrever nas redes sociais que “a solução pode estar num protocolo por assinar entre o governo e autarquia para aproveitar fundos europeus.” Todos apaixonados pela Educação. Portanto.

Apesar de ser um edifício classificado, com as janelas partidas, os tetos a cair e os ratos a passear, como escrevia Pacheco Pereira, antigo aluno do Herculano, nada feito. Agora parece que vai ser. Mas só acredito quando vir,. No Herculano e em todas as outras escolas que estão em situações semelhantes.

CM – Rui Hortelão 

AFINAL AINDA HÁ QUATRO

4.º - OS AMANTES DO SOCIALISMO!

PORTUGAL DESEMBOLSA 7380 MILHÕES EM JUROS

- Só a Troika lucrou 1845 milhões de euros em prémio pelo resgate financeiro ao País.

- Valor dá para pagar cinco meses de salário a todos os funcionários públicos

Os juros foram uma das maiores facturas que Portugal teve de suportar no ano passado. Foram 7380 milhões de euros no ano de 2016 não para pagar a dívida, mas apenas para liquidar juros dos empréstimos. O suficiente para garantir cinco meses de salários na Função Pública, custando 738 euros a cada português.

A dívida portuguesa atingiu, no final de Setembro passado, 244 mil milhões de euros, o maior valor desde que há registo, segundo o Eurostat.  Se os portugueses fossem chamados a pagá-la , cada um teria de desembolsar cerca de 24 mil euros.

Face à riqueza do País, só a Grécia regista piores resultados do que Portugal.  TEMOS UMA DÍVIDA IMPAGÁVEL!

CM - 24-01-2017