Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

VIRAR O MUNDO

É uma tarefa gigantesca! Mesmo assim vale a pena tentar, seria indigno não o fazer!

Contudo, os problemas do HOMEM serão somente de natureza económica?

Vejamos se assim é.

O nosso Alentejo é a região do nosso País na qual se matam mais idosos:

Uma corda ao pescoço que se prende ao ramo mais forte daquela árvore, escolhida muito tempo antes do ato definitivo, ou, por uma questão de pudor e de maior recolhimento, à trave mestra do celeiro em ruínas. Uma pedra como apoio, às vezes um banco para o qual se vai subir e de onde se dará o passo decisivo e último, pensado há muito, iniciado agora mesmo. Por dentro e por fora, apenas o silêncio e a solidão. A alma já estava morta de tristeza e de secura, tanta mágoa sofrida, tanta desesperança, tanto abandono, tanto vazio e desamparo. Mas tudo isso já passou e já não conta quando o corpo resolve enfim subir ao banco e atirar-se daquela altura, trinta centímetros, não mais. Um esticão forte, estremece a árvore, um gemido seco e breve, os olhos arregalados, cede que não cede o velho barrote apodrecido e o corpo fica a baloiçar uns momentos, antes de se imobilizar para sempre. Nem uma carta de despedida ou explicação. Porque em vida não houve tempo de ir à escola, porque a despedida não vale a pena e a explicação, a existir, não cabe numa carta!

Quem se importa com toda esta gente boa que morre, por um lado a pensar no céu e por outro em tanta mágoa sofrida em silêncio?

Será assim só no Alentejo? Será em todo o nosso País também? E no resto do mundo?

A maior miséria é de facto o abandono! Mas também é GLOBAL!

Será que os velhos não prestam por não terem capacidade política de revolta?

Ninguém lhes dá importância, os próprios filhos se esquecem deles!

Um horror e os dias passam sem que apareçam homens de boa vontade!

Quando as forças não chegam para subir as escadas dos seus prédios sem elevador (há prédios cheios de velhos do 1º ao último andar), nem conseguem ir à mercearia  da esquina buscar as batatas para matar a fome! Ou um vizinho faz a boa ação do dia, ou a noite chega sem nada no estômago.

É um cenário deprimente que nos interpela a todos como cidadãos deste País e deste MUNDO.

É disto que nos fala a Mensagem de Sua Santidade João Paulo II. Está a falar-nos do óbvio, mas os nossos ouvidos estão surdos.

O atual 1º. Ministro fez como promessa eleitoral, um pequeno aumento financeiro para os mais desprotegidos. Ou serão mais cortes na curta reforma?

Será disto que fala a Mensagem? Não certamente!

Ela fala-nos de uma grande mudança na mentalidade de todos nós. O carinho, a companhia, o amparo e uma palavra amiga valem muito mais que alguma fome no estômago.

De facto como chegarão ao Céu milhões destes idosos, depois de tanto abandono, muitas vezes da própria família?

A sociedade portuguesa desumanizou-se bastante neste largo período de crescimento e bem-estar económico. Em muitos aspetos, nos tempos da “sardinha para três”, parece ter havido muito mais solidariedade !

O problema ultrapassa, em muito, a questão meramente económica!

Virar o mundo é fundamental, mas isso ainda não se ensina nas UNIVERSIDADES!