Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

UMA PARÁBOLA DO EVANGELHO

Numa certa parábola do Evangelho podemos ler: Quando fores convidado vai-te sentar no último lugar, e assim, quando vier aquele que te convidou, dir-te-á: “amigo sobe muito mais para a frente”

Nesta parábola sinto-me no lugar daquele que convida. O convidado, por muito mérito próprio, será o nosso querido pároco desta nossa freguesia à época, Padre Gonçalves.

Tudo o que de bom tinha acontecido em Queijas, trazia quase sempre, a marca de um homem que dedicou a sua vida, numa absoluta entrega, à resolução dos problemas da nossa terra, fosse eles, de que cariz for.

É contudo no domínio do social que mais se admira a grandiosidade da sua obra, Porque no desempenho das minhas funções autárquicas, em simultâneo, cada vez percebo melhor a fragilidade da sociedade que temos, face à gravidade dos problemas sociais existentes.

Na passagem do “Ano Internacional do Idoso” (1999) senti-me profundamente chocado ao constatar que à medida que subia a esperança de vida, naturalmente subia o número de idosos, mas a capacidade de resposta por parte dos poderes instituídos, era pouco mais que primária.

Naturalmente que me quero escusar de apontar o dedo aos verdadeiros responsáveis, mas choca-me perceber que os responsáveis em governação, mais não poderão fazer que, pesando o mal menor, despejar os custos da bancarrota, também nos idosos. E, atolhá-los em austeridade!

É exatamente no domínio do amor, carinho, cuidados de saúde, físicos e morais, que um resguardo de conforto, para amnistiar tanto sofrimento, traria um pouco de agrado aos nossos idosos. Temos que sonhar todos os dias, porque se choras que a noite não tem sol, então as lágrimas não te deixarão ver as estrelas!

Finalmente, esse resguardo apareceu, com a inauguração do renovado Centro Social de Queijas, de São Miguel de Queijas (2001). Vinha sendo superiormente orientado pelo nosso inesquecível Padre Gonçalves, um exemplo a seguir. Aqui se acolheram idosos desta e outras freguesias, todos com carinho garantido, bem tratados o que nunca poderá ser esquecido. O tempo não poderá apagar obras desta envergadura social. O barco não poderia navegar se uma só amarra ainda o prendesse à margem. O padre Gonçalves, no meu tempo, desprendeu essa amarra.

Sem desprimor para ninguém, esquecer o Padre Gonçalves e o seu legado seria uma enorme ingratidão e injustiça.

 

.