Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

TRABALHO DÁ SAÚDE

ECONOMIA

Há 32 mil pensionistas que continuam a trabalhar e 7% estão reformados por invalidez

Por

Carla Aguiar07 agosto 2006Comentar

Quem pensa que todos os portugueses querem reformar-se para ir para casa e deixar de trabalhar está enganado. Em 2005 estavam registados 32 320 pensionistas em actividade, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho e da Solidariedade. E, deste universo, cerca de 7% reformaram-se por invalidez.

Aquele número representa, todavia, uma gota no oceano, quando comparado com o universo total de pensionistas, que atualmente se aproxima dos dois milhões.

A grande maioria dos pensionistas activos recebe pensões de velhice, mas existe uma franja de 2233 pessoas que, apesar de ser beneficiária de pensões de invalidez, aufere remunerações do trabalho registadas no Ministério do Trabalho.

O Governo já anunciou a intenção de rever as condições de acumulação de pensões com rendimento do trabalho.

A situação de acumulação de uma pensão com atividade merece também uma taxa contributiva especial. Na situação de velhice a taxa social única total é de 23,10%, sendo que a empresa paga 15,30% e o trabalhador 7,80%. Em caso de invalidez, a taxa total é um pouco mais elevada, de 26,50%.