Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

SER GRANDE

 

Está longe, muito longe de ser forte, alto e espadaúdo! Como disse Pessoa, é ser como a LUA: Assim, em cada lago a lua toda 
     Brilha, porque alta vive”.

Ainda com a ajuda de Pessoa, bem poderíamos dizer: Sê grande sê inteiro”. Assim, melhor poderemos definir aquele que tem merecido o aplauso do mundo todo! É de MANDIBA que falamos, pois ele foi um homem inteiro toda a sua vida, detendo ou não o poder. Na história de Portugal ensinava-se que Angola bem como todas as outras províncias ultramarinas constituíam parte integrante do grande império português que nos fora legado pelos nossos corajosos e gloriosos antepassados que deram novos mundos ao mundo através dos descobrimentos e eram senhores de aquém e além-mar.

No momento em que se começou a entoar a “Grândola Vila Morena”, já este além-mar, que falava português, estava repleto de russos, cubanos e demais gente do ex-bloco soviético! 

 

Recusou vinganças menores, a coberto da cor da pele. Nisto e em tudo o resto foi um “Homem Inteiro”.

Ninguém nos poderá impedir ou censurar, que nos venha à mente a tragédia da nossa descolonização.

Faltou a Portugal nesta data histórica, um homem, “inteiro” como Mandela que obrigasse “brancos e negros” a permanecerem na mesma ESCOLA E NO MESMA CARTEIRA. Era importante para o mundo que essa continuidade tivesse sido defendida!

A bem do cristianismo que por ele espalhámos e da extinção de todo e qualquer racismo.

Reavivar assim a memória é serviço prestado a Portugal. E também à História.

Toos os Homens deveriam ser como a lua e serem inteiros tal Mandela.