Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

SENSO COMUM OU TRADIÇÃO?

O senso comum descreve as crenças  e proposições que aparecem como "normais", sem dependerem de uma investigação detalhada para se alcançar verdades mais profundas, como as ditas, cientificas.

No senso comum, não há análise profunda, mas sim uma espontaneidade de ações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é "natural". É, então, o senso comum que, muitas vezes, determina ações tomadas sem a devida  reflecção filosófica. Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum mas é o baseado na tentativa e no erro. É, então, o senso comum que, muitas vezes, determina ações tomadas sem a devida reflexão filosófica.

Existem pessoas que confundem senso comum com crença”, embora sejam coisas bem diferentes.

Senso comum é aquilo que aprendemos no nosso dia a dia e que não precisamos aprofundar para obter resultados, como por exemplo: uma pessoa vai atravessar uma rua; ela olha para os dois lados, mas não precisa calcular a velocidade média, a distância, ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. Ela, simplesmente olha e decide se dá para atravessar ou se deve esperar.

O senso comum não é a atitude tomada em si, mas sim a conceção e a perspetiva criada pela pessoa sem a real intervenção do indivíduo. Logo, o senso comum é um ato de agir e pensar que tem raízes culturais e sociais. Também fazem parte do senso comum os conselhos ditos populares, que são tidos como verdades absolutas (?) e, como tal, seguidos pelo povo:

- «À conta dos ciganos, todos furtamos»;

- «Trabalho é bom para o preto»;

- «A casa é das mulheres e a rua é dos homens»;

- " Entre marido e mulher não metas a colher";

Outro tipo de senso comum é a tradição, que, quando instalada, passa de geração para geração. Ao nível da etnografia, a tradição revela um conjunto de costumes,comportamentos, memórias, rumores, crenças,lendas,música,

práticas, doutrinas e leis que são transmitidos às  pessoas de uma comunidade, sendo que tais elementos passam a fazer parte da sua cultura.