Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

OS NOSSOS MOINHOS DE ÁGUA

 

Nos anos 60 do século XX, mais de 11 mil moinhos operavam comercialmente em Portugal. Hoje, os poucos que subsistem servem novos propósitos, ou estão abandonados.

Votada ao esquecimento com o advento da electricidade e das novas moagens, a sua indústria panificadora definhou até ao abandono total. O património molinológico, depois de décadas de abandono, parece agora recuperar. A transformação da energia contida nos cursos de água em energia aproveitável pode ser feita por meio de uma turbina ou de uma roda de água. O ofício do moleiro, inserido nas moagens, é diferente do ofício de construtor de moinhos. 

 

Há, alguns ofícios à volta dos moinhos antigos,que estão quase em extinção, principalmente os que estão relacionados com as mós de pedra e com o picar destas, mais o seu manuseamento. Mas, digamos que há uma parte destes ofícios que são facilmente recuperáveis, porque estão devidamente estudados e publicados. A figura do moleiro concebido para este sistema antigo parece ir desaparecer. Modernamente, certos espaços e quedas d'água provisórias, onde eram instalados os moinhos, são hoje usados para produzir energia elétrica.