Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

“O PODER CORRUÍDO“

É claro, que existem vários tipos de “Poder”, cada qual no seu próprio domínio. Não é, contudo, desses “poderes” que se fala, mas sim, daqueles que deviam estar mais acima e conter um importante fator chamado autoridade, capacidade de decisão e execução a nível nacional. Sei que dissertar sobre o “Poder” é hoje, extremamente difícil, pois ele cada vez mais se parece com o ar. Existe, está por todo o lado, mas ninguém sabe exatamente, onde.

De facto, qualquer Governo está de tal forma condicionado, de uma forma envolvente e partidária, que mais não consegue controlar do que parte reduzida desse mesmo “Poder”.

A parte, não controlada, ninguém saberá ao certo quem sobre ela terá domínio! Não será de estranhar que seja o mundo da economia ou das finanças. Mas, de algum modo sempre de forma escondida! 

De facto, os Interesses em Portugal são mais fortes que o fraco poder político Todavia, sem “Poder” ninguém conseguirá gerir as sociedades, e desse modo ele emerge, melhor ou pior, como forma natural de as manter.

Como causa maior, desta guerra sem quartel, mesmo acima dos tão apregoados interesses, está a condição humana, ou seja o próprio homem. Como os animais, também o homem se tem regido pela lei da selva, à qual se tem dado nomes diversos como: lei do mais forte, lei da sobrevivência dos mais fortes, luta de classes, etc. Por mais que se tente provar o contrário, o homem sempre foi e continua a ser guerreiro, cruel, dominador, opressor, devorador dos mais desfavorecidos. Só por ignorância ou má-fé é que se pode admitir que estes sentimentos tenham diminuído ao longo da história. É costume dizer-se com muita razão, que o homem é um eterno insatisfeito. Os animais destroem ou devoram seres mais fracos, porque é deles que se alimentam. O homem destrói apenas pelo seu prazer de autossatisfação.