Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

“O FUTEBOL E OS NOSSOS CLUBES “

 

Que fará altos dirigentes dos clubes, introduzirem neles a componente política? Porquê tantos presidentes de Câmaras metidos no futebol? Naturalmente que só podem ser interesses, aos quais os mesmos clubes são certamente alheios! Ou talvez não!

 

Todavia, isso permite em si mesmo perceber, o vasto campo de ação do qual os altos dirigentes do futebol dispõem, no mundo que dirigem. Coisas muito importantes podem ser por eles manipuladas, tais como depósitos bancários, vultuosos seguros, comissões a representantes de jogadores etc. já para não falarmos do capital político inerente e do prestigio pessoal advindo do exercício de tais funções.

Voltando às guerras políticas, elas são hoje uma constante, sem a menor duvida, dentro do mesmo partido, nos empregos, nos clubes, nas associações e em todo o lado onde corram quaisquer tipo de interesses, ou influências. Quem não andar distraído, ouve e percebe como as pessoas se interrogam sobre a proveniência dos dinheiros para o futebol! Enquanto no país, muitas vezes, não há dinheiro para os mais modestos trabalhadores receberem o seu salário de miséria! Afinal, onde vão os clubes de futebol buscar tanto dinheiro para abastecerem o património de uns rapazes que apenas sabem dar uns pontapés numa bola?

 

O que faz acorrer certas figuras aos clubes, dá que pensar. Seria exaustivo fazer uma relação com os nomes de tantas e tantas pessoas que têm passado e estão nos clubes portugueses.

Acredita-se, que as motivações serão as mais diversas. Desde figuras que alcançaram notoriedade no campo político e por isso desejam mais popularidade, com objetivo em voos mais altos. Gente que atingiu tudo na vida, principalmente no mundo empresarial e na fortuna pessoal, mas que lhe falta atingir o reconhecimento público.

Outros, com intenções menos confessadas e finalmente uns tantos (poucos) que se dedicam a servir a causa pública. No seu conjunto o futebol movimenta hoje interesses importantíssimos.

As receitas dos clubes parecem ser outra fonte de mistério, pois não há dúvida, de que as despesas são impressionantemente elevadas. Os estádios só enchem, na melhor das hipóteses, meia dúzia de vezes por ano. E as receitas das transmissões televisivas não podem chegar para tanto.

Enfim, que tudo isto faz um certo mistério faz.

Algumas pessoas mais «alérgicas» à bola, poderão pensar que a atividade social do futebol não tem grande importância na vida das pessoas. Em si mesmo, tem importância no entretenimento das massas.

No fundo, o futebol mitiga muitos dos problemas do quotidiano que afligem as pessoas e as famílias, e talvez por isso mesmo, ninguém ultrapassa a mera sensação que reside, num certo mistério sobre este mundo do futebol.

É preferível e mais cómodo deixar tudo como está? Talvez!

Até mesmo esquecer que no regime anterior eram apontados como fatores de alienação política os célebres três efes ou seja:

 

Fado, Futebol e Fátima! Afinal, tudo como dantes!