Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

O DESINTERESSE DOS VOTANTES

 

Numa das muitas viagens ao passado, que faço relendo pedaços de notícias guardadas por instinto, voltei a ler:

“ Na sequência do debate iniciado no PS sobre a Declaração de Princípios e a alteração estatutária, um grupo de dez jovens socialistas manifestou-se ontem preocupado com a orientação seguida na última Comissão Nacional do Partido.

A centralização do poder de decisão no Secretariado, como pretende Ferro Rodrigues, está entre as preocupações apontadas.

Além disso, estes jovens socialistas criticam os militantes com responsabilidades no partido que confundem a “verdadeira matriz ideológica com estratégias programáticas”.”É exatamente através de estratégias programáticas que o eleitorado do centro não poderá ser esquecido”.

Nota: Antes de mais, sabe bem ver jovens a falar desta maneira. A “centralização do poder”, é um dos grandes defeitos dos partidos e logicamente dos governos eleitos. Só não sei, se esta forma de agir e decidir, resulta de alguma confusão, ou não será mesmo uma estratégia para segurar lugares e privilégios conquistados! No atual momento, é corrente ver e ler jovens socialistas nas televisões e jornais a contestar as forças governamentais. É lógico pensar-se que aparecem eles e não os consagrados e “eternos” militantes creio, por duas razões:

1 – Os argumentos apresentados e mandados apresentar ao país, não serão os mais apropriados, nem os mais corretos para gente do “centro-esquerda”. Servirão somente para “arrasar a oposição”, logo não deixarão muita simpatia em quem os ouve, nem qualquer esclarecimento! Logo, as figuras cristalizadas dos partidos, não estarão muito interessadas em aparecer….e, mandam os jovens de outros partidos.

2 – Por este meio, os votantes não ficarão esclarecidos, porque para o ficarem, seria preciso que qualquer partido fizesse o mea-culpa da sua própria atuação (na oposição ou no governo) e depois, apresentasse alternativas credíveis. Estamos perante uma política primitiva, que se projeta num contínuo desinteresse dos votantes!