Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

DEIXANDO A HISTÓRIA FALAR

Era este o tema que eu procurava, faltava agora lançar mãos à obra!

Foi assim que surgiu o trabalho de que passo agora a referir resumidamente, os principais aspectos numa tábua cronológica: A CARDIGA NA HISTÓRIA

- 1128 – D.Teresa faz a primeira doação de que há notícia aos Templários: o castelo e a terra de Soure.

- 1159- O castelo de Cera (Tomar) é doado à Ordem do Templo.

- 1160 – Começo da edificação do castelo templário de Tomar.

- 1169 – D. Afonso Henriques concede aos templários um terço do que conquistasse no Alentejo.

  1. Afonso Henriques concede aos Templários o castelo da Cardiga.

- 1190 – Gualdim Pais defende o castelo de Tomar contra os Mouros.

- 1196 – O território de Açafa é concedido por D. Sancho I aos Templários.

- 1255 – Pedro Alvo faz a doação da Quinta da Cardiga à Ordem do Templo.

- 1311 – Extinção da Ordem dos Templários.

- 1315 – Fundação da Ordem de Cristo.

- 1415 – Conquista de Ceuta.

- 1416 – Frei Gonçalo Velho é Comendador da Cardiga.

- 1420 – O Infante D. Henrique é nomeado administrador apostólico da Ordem de Cristo.

- 1433 – D. Duarte faz a doação das Ilhas da Madeira, porto Santo e Desertas ao Infante D. Henrique.

- 1434 – Gil Eanes dobra o Cabo Bojador.

- 1443 – O regente D. Pedro concede a D. Henrique o monopólio da navegação, guerra e comércio nas terras para além do Cabo Bojador.

- 1455 – Bula de Nicolau V declarando que as terras e mares já conquistados ou a conquistar, possuídos ou a possuir, pertencem para o futuro e perpetuamente, aos reis de Portugal, como propriedade exclusiva.

- 1460 – Frei Gonçalo Velho é investido no cargo de primeiro capitão das ilhas de Santa Maria e de São Miguel. Morte do Infante D. Henrique.

- 1500 – Descoberta do Brasil por Pedro Alvarez Cabral. Afonso Furtado de Mendonça é Comendador da Cardiga.

- 1529 – (cerca, de) Nuno Furtado de Mendonça, genro de Pedro Alvarez de Cabral, sucede a seu pai no cargo de Comendador da Cardiga.

- 1536 – É feita cedência à Ordem de Jesus Cristo de Tomar, da Comenda da  Cardiga, em troca da Comenda da Igreja de Santarém. É dada posse à Ordem de Cristo, como Comenda, a Quinta da Cardiga.  

- 1537 – Escambo das rendas da Igreja de S. Tiago de Santarém, pelas da Quinta da Cardiga.

- 1548 – São isentas de Jogadas todas as várias propriedades sitas nos limites da Quinta da Cardiga.

- 1555 – Alvará Régio de D. João III mandando que nenhum pescador possa pescar no Campo da Cardiga.

- 1572 – (Cerca, de)

A Ordem de Cristo pede uma provisão a D. Sebastião para que possa fazer retornar o Tejo ao seu percurso original.

- 1590 – O Dom Prior do Convento de Cristo justificou a necessidade da mudança do curso do rio Tejo para o seu percurso original, perante Filipe I. 

- 1591 – Filipe I legisla a favor da Cardiga.

- 1598 – Filipe I torna a legislar a favor da Cardiga, porém o Tejo não regressa ao seu trajecto original.

- 1751 – Breve Pontifício permite ao Convento de Cristo aforar as terras da Lezíria da Martintina, situadas na Quinta da Cardiga.  

- 1758 – O Pe. Luís Cardoso diz nas suas “Memórias Paroquiais” que as quintas do concelho da Golegã, entre as quais a da Cardiga, eram tão prósperas que mesmo a de renda mais baixa excedia os 20.000 cruzados por ano.