Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

CUIDADO COM O DITO SOCIALISMO!

DOMINGO, 5 DE OUTUBRO DE 2014

Diz a lenda, que S. Bartolomeu nas suas andanças pelo mundo, retirou o diabo do corpo de um jovem doente, e depois aprisionou-o para que não fizesse mais estragos... Todavia, parece que ele anda por aí à solta!

Em democracia nunca conseguimos ter as contas públicas em ordem! A razão sempre foi a mesma: “ Excessiva despesa do Estado”!

Com a realidade à vista de todos em 2011, ninguém esperava facilidades no caminho que teríamos de percorrer para conseguirmos fazer o “ajustamento da economia ao “sobre-endividamento” para onde atiraram o nosso país!

Mesmo assim, as dificuldades estão a ser muito maiores que as esperadas. Estranhamente, parece não haver culpados nesta longa estrada, que vai ter um final de percurso de arrepiar!

É aqui que entram as maldades do “mafarrico”, com toda a esquerda a querer a cabeça do ministro das finanças, que tem a confiança dos nossos credores. Aqui del Rei, por que o homem não acertou em nenhuma das muitas previsões que fez, etc. A escolha da vítima só pode ser ditada pelo dedo do tal diabo à solta!

Também com uma esquerda tão ativa e aguerrida, tudo isto tem de ser obra das forças do mal! Nos últimos dez anos toda a gente falhou as suas previsões, em virtude da entropia que se enlaçou nas nossas finanças públicas, no crescimento da dívida e no não crescimento da economia. Para não dizer pior, tudo aponta de novo para o mafarrico aliado à incompetência dos políticos, aos lóbis e ao Tamanho do Estado.

Vamos agora supor que o atual ministro encontra tudo isto numa “agonia de morte aparente” a do chamado ESTADO!

Vamo-nos imaginar numa cálida noite de maio, com o céu coberto de “pirilampos a esvoaçar”, ziguezagueando sem cadência certa, e só acendendo os faróis depois de já terem mudado constantemente de sentido”.

Meus amigos podem contratar o melhor atirador do mundo e dar-lhe uma “pressão de ar”, que ele não consegue acertar em nenhum pirilampo! Porque estes foram-se transformando em "parcerias Público Privadas", a pagar ao longo dos póximos 30 anos, com juros de arrasar!

É nesta situação que está o nosso “amigo” Gaspar. Os dados de que dispõe nos computadores do ministério estão todos altamente infestados pela “entropia” que se veio acumulando desde que o Zeca Afonso cantou a Grândola vila Morena! Talvez seja esta a razão pela qual a dita ou suposta “esquerda”, quer as culpas todas em cima do competente senhor Gaspar!

Antes de terminarmos, convirá lembrar a dita lei, chamada de “entropia”, agora aplicada não à energia, mas às finanças públicas democráticas”!

ENTROPIA; não esquecer: “É uma medida do grau de desorganização que pode levar à falência de um qualquer sistema (entropia negativa) ”.

No âmbito da administração, significa um sistema político que já não se adapta a um ambiente empresarial atualizado. De resto, há um partido que navega ao sabor da guerra que os dois pequenos partidos de esquerda fazem, de forma desenvergonhada, para destruírem o “centro-direita (em Portugal não há direita!) e poderem também ser PODER.

Estar dentro do quentinho é bom, e dá uma certa segurança à nossa vida. Desde que haja estômago, claro.

O tal partido que navega ao sabor desta guerra, não será bem de direita, nem de esquerda, tão pouco do centro! Quer é poder!

Todavia, não é atacado nem pela direita nem pela esquerda. Está bem com todos e só quer voltar a ser poder, pois é lá que se sente bem! Muito bem, e deixa o povo muito mal!

Lá tem muito pano para “mangas”! Quanto a falhar previsões é o mais certeiro! Quanto a bancarrotas é só com ele!

Enquanto Portugal não cai na bancarrota, tudo vai bem! Depois, aplica o socialismo ao povo com austeridade a torto e a direito, e volta ao PODER, novamente. O povo não sabe o que é o socialismo e depois ficará a saber…. mas volta a cair no mesmo logro. Parece uma fatalidade! Ou então diremos como o outro: "é o destino". A comunicação social tambem gosta deste bailinho. Que o digam as sondagens, depois da sua manipulação!