Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

Brasão de armas de Portugal

Brasão de armas de Portugal pode ser descrito heraldicamente do seguinte modo: «de prata, com cinco escudetes de azul, postos em cruz, cada um carregado por cinco besantes de prata, postos em aspa; bordadura de vermelho carregada de sete castelos de ouro; o escudo sobreposto a uma esfera armilar, rodeada por dois ramos de oliveira de ouro, atados por uma fita verde e vermelha»

Noutras representações, a fita surge colorida singularmente apenas de prata com a inscrição retirada dos Lusíadas:

"ESTA É A DITOSA PÁTRIA MINHA AMADA".

 

 

É

 

 

 

 

 

 

A poesia épica

O desafio à escrita de uma epopeia dos feitos portugueses, à semelhança dos gregos, com a Ilíada e a Odisseia, e dos romanos, com a Eneida, fora já lançado por António Ferreira. O ideal épico correspondia à concretização de valores humanistas característicos deste período.

 

Em 1572, Luís de Camões publicou Os Lusíadas, tomando como tema a história de Portugal e como eixo temático a viagem de descobrimento do caminho marítimo para a Índia. O sucesso da epopeia de Camões, bem como dos restantes aspectos da sua obra, levou a que, ao longo de cerca de um século, surgissem dezenas de poemas épicos, segundo o modelo de Os Lusíadas, alguns dos quais tomando como motivo episódios militares, como o cerco de Diu (1546).

 
O elogio das maiores personalidades portuguesas nunca poderá parar enquanto Portugal existir e, uma das formas de o fazer, é certamente condecorando aqueles que nos honram e nos fazem grandes como nação.
ter com quem nos mata lealdade. É querer estar preso por vontade;