Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

BATALHA DE TRANCOSO

 

 

Elevado a rei em Coimbra, a 6 de Abril de 1385, D. João I partiu para o norte do País com o fim de submeter praças rebeldes.

No alvorecer do dia 6, 7 ou 8 de Maio tomou a parte da vila de Guimarães situada entre as cercas nova e velha. A queda do castelo, porém, havia de demorar. Só se deu num dos primeiros nove dias de Junho.

Estava o rei sobre Guimarães quando soube que um corpo de tropas, sob o comando de João Rodrigues de Castanheda, entrara na Beira, pela fronteira de Almeida, e depredava sem oposição. Os fidalgos portugueses que lá estavam, divididos por fundas dissensões, não se uniam para combater o inimigo. «El-Rey estava em Guimarães, e pesava-lhe muito, sabendo como aquelas gentes entraram e o grande dano que assim faziam; e diziam por vezes falando nisto: Maravilhado soo de Gomçallo Vaasquez e de Martym Vaasquez e daquelles fidalgos da Beira que alla estam, amdarem assy os emmigos perantelles come per sua casa, fazemdo tanto estrago como dizem que fazem, e nom lhe poerem a praça, e leixarem-nos assyroubar e hijr a sseu salvo. Pareçe que se dooem pouco da terra que ham de lograr e com que soportam suas homras e Estados».

Já então João Fernandes Pacheco atuava no sentido de congraçar os desavindos, a fim de se obter a congregação de esforços necessária a uma eficaz oposição ao inimigo. Começara mesmo a atuar logo que ele entrou na Beira. Por sua vez, os homens do Porto mandavam «mujtos djnheiros» a Gonçalo Vasques Coutinho e a Martim Vasques da Cunha. Para quê o dinheiro? (A imaginação é livre). Para mover consciências? Para fazer face a despesas habituais em tais circunstâncias? Tudo junto, talvez. A verdade é que os fidalgos se uniram perante o invasor, enfrentando-o quando ele, após ter andado alguns quinze dias «sem reçeo e de seu vagar» e de ter chegado Viseu, regressava a Castela com « muy gramde roubo a marauilha, dhomeens e molheres e moços e gados e bestas e doutras muytas coussas, de guissa que pasauom de setecentas azemellas as que vinham nesta carriagem» como diz Fernão Lopes.

E venceram-no, aqui perto, junto da capela de S. Marcos, que já então existia.