Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

A DIREITA E A ESQUERDA

 

É bastante comum vermos as expressões Direita e Esquerda sendo usadas para designar grupos antagónicos no jogo político. Mas o que vem a ser, de facto, cada um desses termos? 
Tudo começou em França do final do século XVIII. O seu sistema político era composto por três grupos, os chamados Estados Gerais: o clero, a nobreza e o terceiro estado, formado pelo “resto” da população (banqueiros, comerciantes, médicos, artesãos, etc.). O terceiro estado era o único que tinha a obrigação de pagar os impostos, além de terem inúmeras limitações, como o fato de não poderem ocupar cargos públicos, por exemplo. Foi assim, em razão da adoção de um modelo político injusto e dos privilégios dados a uma pequena parte da população, que se iniciou a Revolução Francesa. 
O que originou os termos Direita e Esquerda foi o fato dos membros do terceiro estado se sentarem à esquerda do rei enquanto os do clero e da nobreza se sentavam à direita. Foi assim que se originaram os conceitos: Direita é um grupo conservador e Esquerda é um grupo de oposição. De uma forma generalizada e superficial, os conservadores dão ênfase ao liberalismo económico e à eficiência da economia, enquanto os esquerdistas possuem o seu enfoque nos valores da igualdade e da solidariedade. O fato de se ser da Direita ou da Esquerda é algo muito relativo e não permanente, uma vez que um partido, por exemplo, pode estar de um lado num dado momento e de outro noutra instância, agindo conforme um jogo de interesses. Por isso, muitos consideram estas definições simplificadoras e enganosas, uma vez que os valores de cada grupo se podem e tornar bastante contraditórios.

A preocupação da direita com a eficiência da economia, tem a ver com a obtenção de riqueza e com o nível de emprego e bem-estar do povo.

Por outro lado a esquerda ao centrar a sua preocupação na igualdade e solidariedade, torna-se mais apelativa pela obtenção do voto popular, mas se não for competente na gestão da economia, acaba por fazer refletir tal realidade naquilo que diz querer fazer; ser igualitária e solidária. E muitas vezes atira com tremenda austeridade para cima do povo. São hoje os maiores clientes da dita “Função Pública”

Por outro lado a direita, por centrar a sua preocupação numa boa gestão da economia, não deixa de pensar na solidariedade ou igualdade e assim, evitar desastres eleitorais.

As maiores conquistas sociais vieram, principalmente, dos países ricos dos continentes europeu e americano.