Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

“ A DEMAGOGIA VS IDEOLOGIAS ”

 

Na procura de saber para compreender, de modo a sacudir algum mau estar pelo incomodo das contradições em catadupa, num mundo intoxicado de informação dúbia, mais não existe que uma grande abertura das pessoas que lutam pela verdade e pelo bem-estar comum.

 

Continue-se, pois, sempre sem afastamentos dos factos concretos e reais, para nos convencermos todos, acima de tudo os leitores, de que este trabalho se limita a puras constatações.

Sabe-se perfeitamente que grande parte do nosso povo, toma posições políticas, não por ódio, mas por recalcamentos e uma animosidade que fere. A vida para muitos não tem sido nada fácil, e os constantes sacrifícios pedidos ao povo, sem privilégios, provoca nele alguma revolta interior. O constante empobrecimento também!

 

Depois, a “ Demagogia Política “, nomeadamente dos homens de esquerda, viram muito povo contra o poder, os empresários e todo aquele que zela pela ordem e pelo respeito. No fundo contra quem manda por razões políticas, ou mesmo profissionais.

Convencem as pessoas mais simples de que são “eles” (os da direita), os causadores do sofrimento alheio, porque não defendem os pobres mas sim os seus interesses. É isto que lhes é incutido por certas figuras e meios de comunicação, manipulados.

 

As ideologias poerão ser, o que de mais fascinante se poderá abraçar na vida. Contudo, são também uma arma que nas mãos de gente oportunista e demagoga, de pouca formação moral e intelectual, se torna extremamente perigosa. Quanto aos políticos ou fazedores de opinião, têm todo o direito de discordar das medidas tomadas pelo governo junto do país e do povo, todavia, perdem essa razão quando, de forma sistemática, não indicam caminhos alternativos válidos. Percebe-se que a pobreza e as muitas dificuldades do povo, nada têm a ver com a esquerda ou a direita, mas sim, com a cultura, a entrega e a honestidade postos ao serviço do desenvolvimento social e económico e da transparência da sociedade em que vivemos.

 

Com um regime largamente desprestigiado, com partidos que o Pais despreza, com uma economia pobre e sem estratégia, com universidades de segunda ordem, com isto e aquilo, como haverá elites? Os príncipes que nos governam refletem fielmente a desgraça nacional.”

Vasco Pulido Valente

DN 3-11-2002