Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

A DEMAGOGIA ODEIA A VERDADE

A demagogia eleitoral é outro dos fatores de distorção a corrigir, para que a democracia possa melhorar e os políticos ganhem maior credibilidade.

É impensável um candidato a primeiro-ministro em campanha, vir dizer que “ enquanto houver uma criancinha com fome ou em lista de espera nos hospitais, não se fará o novo aeroporto da Ota”, para decorridos três meses o seu ministro das Obras Públicas anunciar, por duas vezes, o arranque do tal aeroporto! Falar verdade, mesmo em tempo eleitoral, é indispensável para a credibilidade do regime político.

Demagogia é um termo de origem grega que significa "arte ou poder de conduzir o povo". É uma forma de atuação política na qual existe um claro interesse em manipular ou agradar à massa popular, incluindo promessas que muito provavelmente não serão realizadas, visando apenas a conquista do poder político ou outras vantagens correlacionadas. É uma estratégia de condução político-ideológica, valendo-se da utilização de argumentos apelativos, emocionais ou irracionais, em vez de argumentos racionaispara proveito próprio.

demagogo, na sua expressão grega primitiva era apenas o chefe ou “condutor do povo”, sem qualquer sentido pejorativo, servindo para qualificar os chefes políticos. A palavra sofre uma evolução semântica, o demagogo é qualificado como o animal que chama boa às coisas que lhe agradam e más às coisas que ele detesta. Do mesmo modo em Aristóteles, se acentua que o demagogo utiliza a lisonja e os artifícios oratórios. A partir do século XIX a  demagogia passa a ser considerada uma degenerescência da política, a arte de conduzir habilmente as pessoas ao objetivo desejado, utilizando os seus conceitos de bem, mesmo quando lhe são contrários. Max Weber utilizando um conceito amplo de demagogo, que inclui o jornalista, defere que na política contemporânea o demagogo substitui o púlpito. Com efeito, na democracia de massas, os chefes políticos utilizam algo que vai além da persuasão e que se inclui na zona do artifício e da manha, gerando-se um populismo que também chegou a ser utilizado pelos instauradores de regimes autoritários e totalitários, mas que também funciona na propaganda democrática, no âmbito da chamada personalização do poder. Desde que apareceu o Estado Constitucional e, mais completamente, desde que foi instaurada a democracia, o demagogo é a figura típica do chefe político no Ocidente". Uma demagogia que, depois de se transmitir pela palavra impressa e através dos jornalistas, passou para a rádio  e para a televisão.

A democracia é o governo de muitos, cujo caráter e valor estão na liberdade, e cuja degeneração é a demagogia. 

A nossa “Democracia “ está, deste modo, transformada num arremedo! Então, o “Sistema” vomita os seus subprodutos tais como, “ O lodaçal das suspeitas “, a “Corrupção”, a “Vulnerabilidade dos nossos homens de Estado”, etc.

Podemos dizer, sem erro, que “A política bateu no fundo”, só não podemos é dizer: “Como mudar a Política”, pois os que querem não têm força, e os que a têm não querem.