Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

A LIÇÃO DO RATO

 

Aproveitemos a lição do rato

Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e a sua esposa abrindo um pacote.

Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.
Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo todosos animais:

- Há ratoeira na casa, ratoeira na casa !!


A galinha:

- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O rato foi até ao porco e:
 
- Há ratoeira na casa, ratoeira !

- Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar. Fique tranqüilo que o Sr. será lembrado nas minhas orações.

O rato dirigiu-se à vaca e:
 
- Há ratoeira na casa!

- O quê? Ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!

Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira.
 
Naquela noite, ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima.. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia peg
ado. No escuro, ela não percebeu que a ratoeira havia pegado a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher...
 
O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital.
Ela voltou com febre.
Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha.
O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
 
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.

A mulher não melhorou e acabou morrendo.
 
Muita gente veio para o funeral.

O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todos aqueles amigos.

Moral da História:

Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há uma ratoeira na casa, toda fazenda corre risco.
 
O problema de um é problema de todos!


"Nós aprendemos
a voar como os pássaros,
a nadar como os peixes,
mas ainda não aprendemos
a conviver como irmãos. "

 

 

IGREJAS

 

As igrejas existem há muitos séculos.

Desde o ano 67, sob as ordens do Imperador Romano Cláudio Nero, as igrejas têm sofrido toda a espécie de perseguições, apesar disso, têm conseguido sobreviver.

SAN PETERSBURGO

Igreja do Salvador sobre o sangue derramado.

O seu nome oficial é:

IGREJA DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO

 

Foi construída no lugar onde em 13 de Março de 1881, foi assassinado o Czar Alexandre II.

Deste acontecimento provém o nome de “Sangue Derramado”.

É uma maravilha por dentro e por fora. O seu interior está completamente forrado de mosaicos com motivos religiosos.

Na época da UNIÃO SOVIÉTICA sofreu grandes estragos. Depois da Revolução Russa, foi utilizada como um armazém.

Foram precisos 30 anos para restaura-la.

A SÉPIA

Há muitos anos atrás as fotografias eram a preto e branco, mas também a Sépia. Geralmente entende-se por sépia o castanho velho que muita gente guarda em fotos de casas antigas, retratos de família etc.

Resultado de imagem para foto de imagem a sépia

A cor sépia tem um encanto muito especial de sabor antigo e hoje pode-se transformar uma foto cheia de cor num exemplar sépia, também conhecida por “foto envelhecida”. A cor sépia aparecia em virtude de as fotografias serem guardadas de forma não apropriada, acabando as mesmas por adquirir essa cor. 

O processo de viragem sépia também foi mais popular nas primeiras décadas do século XX. Atualmente, alguns programas informáticos como o Photoshop transformam uma foto comum em sépia em minutos. Bem diferente do método convencional de revelação, onde é necessário fazer-se a revelação primeiramente a preto e branco para depois passar pelo processo de viragem em sépia.

MITOLOGIA NÓRDICA

Ilustração do deus Odin que é considerada a mais importante das divindades nórdicas.

Mitologia nórdica, também chamada de mitologia germânica, mitologia viking ou mitologia escandinava, é o nome dado ao conjunto de religiões, crenças e lendas pré-cristãs dos povos escandinavos, incluindo aqueles que se estabeleceram na Islândia, onde a maioria das fontes escritas para a mitologia nórdica foram construídas. Esta é a versão mais bem conhecida da mitologia comum germânica antiga, que inclui também relações próximas com a mitologia anglo-saxónica. Por sua vez, a mitologia germânica evoluiu a partir da antiga mitologia indo-europeia.

A mitologia nórdica é uma coleção de crenças e histórias compartilhadas por tribos do norte da Germânia (atual Alemanha), sendo que sua estrutura não designa uma religião no sentido comum da palavra, pois não havia nenhuma reivindicação de escrituras que fossem inspirados por algum ser divino. A mitologia foi transmitida oralmente principalmente durante a Era Viking, e o atual conhecimento sobre ela é baseado especialmente nos Eddas  e outros textos medievais escritos pouco depois da cristianização.

No folclore escandinavo estas crenças permaneceram por mais tempo, e em áreas rurais algumas tradições são mantidas até hoje, recentemente revividas ou reinventadas e conhecidas como Ásatrú ou Odinismo. A mitologia remanesce também como uma inspiração na literatura, assim como no teatro, na música e no cinema.

A família é o centro da comunidade, podendo ser estreitamente relacionada com a fertilidade-fecundidade quanto com a agressividade de um povo hostil e habituado a guerras, em uma sociedade totalmente rural que visa a prosperidade e a paz para si. Deste modo, a religião é muito mais baseada no culto do que no dogmatismo ou na metafísica, uma religiosidade baseada em atos, gestos e ritos significativos, muitas vezes girando em torno de festividades a certos deuses, como Odin e Tîwaz (identificado por alguns estudiosos como predecessor de Odin).

Pode-se dizer que a religião viking não existia sem um ritual e abordava exclusivamente o culto aos ancestrais; era uma religião que ignorava o suicídio, o desespero, a revolta e mais do que tudo, a dúvida e o absurdo. Segundo alguns autores, era "uma religião da vida".

ELOGIAR E SER ELOGIADO

 

Decerto sabemos que os elogios beneficiam mutuamente quem os faz e quem os recebe. Desde que os dois lados, de per si, saibam como elogiar, bem como, receber esses elogios.

Saber receber elogios

Existem pessoas que não se sentem à vontade ao receber um elogio e aceitam-no com alguma dificuldade. Seja por desconfiança ou por não compreender o seu alcance.

Normalmente, terminando por balbuciar: “Não será exagerado aquilo que acaba de me dizer?” ”Tudo o que referiu é meu hábito fazer, sem qualquer segunda intenção.

É, deveras importante ser inteligente e cuidadoso na aceitação de um elogio, tanto por quem o faz, como por quem o recebe.

Podemos mesmo comparar um elogio a um presente, que alguém nos oferece

Se o recebemos, devemos agradecê-lo e reconhecê-lo (dizer, por exemplo, "bem haja pelo elogio, fico satisfeito/a por saber que apreciou o meu trabalho"), bem como retribuí-lo assim que surja uma oportunidade, embora sem obrigatoriedade.

A arte de oferecer elogios

Nestas coisas, não pode haver qualquer rigidez no procedimento, pois tudo tem de estar em conformidade com as circunstâncias.

Não há uma fórmula certa para o fazer, pois o elogio depende muito das circunstâncias. Existem, porém, alguns princípios que importa ter em atenção. Assim, os elogios devem ser:

Específicos no conteúdo

Os elogios devem transmitir reconhecimento por uma habilidade nata, ou por um comportamento que tenha angariado um resultado positivo específico, sem mencionarmos a pessoa em si mesma. Devem evitar-se generalizações do tipo "trabalha muito bem" ou "é uma pessoa especial".

- Delicados na forma

Os elogios devem fazer-se com palavras positivas, evitando superlativos que os tornem artificiais e não se fazerem acompanhar por uma crítica ou outra atitude depreciativa (nem atitudes intimistas). Um elogio escrito à mão ou feito cara a cara, tem muito mais impacto do que aquele que é enviado por mensagem

Dados no momento certo

Os elogios devem ser dados no momento em que ocorre o desempenho do ato, bem como repetidos com alguma frequência, para que constituam um reforço positivo da atuação em causa.

Assim, tudo fica a parecer fácil de dar e receber e os seus efeitos são gratificantes para nós e para os outros. Resta transformá-los num hábito quotidiano.

Então, quem vai elogiar hoje? Nunca o faça para conquistar alguém, nem por pura manipulação. Mas sim, para ajudar alguém

PRINCÍPIOS DO REJUVENESCIMENTO GERAL

 

Pessoalmente, acredito que este novo século, forçosamente, trará de volta uma nova ordem social e política. Porque serão finalmente repostos o respeito e os tradicionais valores humanos. Nos dias de hoje, a “pirâmide” está completamente invertida.

Representará tal conquista a vitória contra o crime organizado, a criminalidade económico-financeira, o oportunismo e o materialismo selvagem que têm vindo a revelar-se uma ameaça grave contra a moral, democracia, sociedade em geral e a própria economia.

Quem tiver por hábito manter-se informado sobre o mundo, sabe de previsões de organismos internacionais cheios de credibilidade, no sentido de uma certeza absoluta: a escassez, dentro de duas ou três dezenas de anos, de bens essenciais à manutenção do nível de bem-estar dado como adquirido na Terra, pelos países mais desenvolvidos.

Serão os casos, além de muitos outros, do petróleo e, mais ainda, da água potável! A confirmarem-se tais previsões, e se outras soluções não forem encontradas, o «caos» instalado poderá tornar-se muito perigoso! Sabemos, ainda, que todo o pensamento é adivinhação, como referia Miguel Tamen na sua obra Maneiras de Interpretação. Dizia ele que só agora os homens começam a compreender o seu poder divinatório. Também dizia que só aquele que pode compreender esta Idade, ou seja – dos grandes princípios de rejuvenescimento geral – conseguirá apreender os polos da humanidade, reconhecer e conhecer a atividade dos primeiros homens, bem como a natureza de uma nova Idade de Ouro que há-de vir …. O homem tornar-se-á consciente daquilo que é: compreenderá finalmente a Terra e o Sol, talvez mesmo o próprio universo!

 

AS CHAGAS DE CRISTO

Provocadas pelos pregos colocados nos pulsos e não nas palmas das mãos, como nas imagens tradicionais, porque esse era o método utilizado pelos romanos, é aquilo que o pintor sempre faz, quando pinta um Cristo. Ao lado da parede principal, Vítor Lages aproveitou o facto de estar a pia batismal para representar João Baptista a batizar Cristo nas águas do rio Jordão.

Atrás de Baptista, uma série de pessoas de todas as idades observa a cena, querendo dizer que o cristianismo representa esperança para todos. Do outro lado da parede do altar, estão os lugares do coro, e aí Vítor Lages pintou " anjos a tocar trombeta" sobre um azul celestial. Os anjos deste pintor, não têm asas, são "seres luminosos" como a Bíblia diz, e a crucificação de Cristo foi retratada de acordo com os testemunhos históricos da época, que vão contra a conceção habitual.

De Vítor Lages na Igreja de Queijas foram inauguradas no dia 30 de Abril de 2000, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Dr. Isaltino de Morais, do Presidente da Junta, António Reis Luz, e demais entidades oficiais

OS SISTEMAS DE BLOQUEIO

Assim vai o país do faz de conta. Para gáudio de uns poucos. Mas seguramente para desespero dos 2,7 milhões de portugueses que vivem no limiar da pobreza ou para o milhão e tal desempregados. Que dirão, uns e outros, à parábola das forças de bloqueio ?

Quem ouvir os noticiários, ler os jornais e alguns livros e for ouvindo os telejornais, procurando estabelecer uma relação entre as notícias, depara certamente com acontecimentos aparentemente sem lógica, mas que se percebe não acontecerem por acaso, tal o grau de eficiência que existe na sua execução.

É como se um conjunto de pessoas, não expostas, mas muito influentes, através de um complicado sistema de cordelinhos conseguissem encaminhar todos os acontecimentos a seu belo prazer, supõe-se também que com vantagens próprias asseguradas.

Do real ao imaginário, podemos visualizar um rio, daqueles com água muito transparente e fria, naturalmente pouco profunda. A sua torrente vai esbarrando nas imensas pedras espalhadas no seu leito, sem que a água nunca as cubra. A leveza que proponho, física e mental, vai permitir, que saltemos de pedra em pedra, quase sem nelas fazermos peso. Sempre que o nosso pé toca numa pedra, pisamos a realidade. Enquanto saltamos, percorremos o imaginário.

Provavelmente, tudo não passará de simples coincidência, ou mesmo de pura alucinação, com certeza provocada pelo “stress” com todos os seus efeitos colaterais geradores de desconfianças, fraquezas, mal entendidos e especulações, mas, mesmo assim, vale a pena pensar, evitando a castração do melhor que Deus nos deu, que foi o recurso ao pensamento.

Naturalmente que se forem coincidências, também não vem grande mal ao mundo, estaremos então a entrar no campo da pura ficção, que de certo modo nos fará esquecer outras preocupações mais reais e nefastas para a nossa saúde e bem-estar psíquico.

Ninguém duvidará da honestidade e competência de ninguém, contudo, ficou sempre por esclarecer o que eram e de onde vinham as ditas forças de bloqueio. Acredita-se agora que elas existem e continuarão sempre a existir. Tinham e têm, sobretudo, uma ação bloqueadora terrivelmente nefasta! Estarão, as mais das vezes, ao serviço do male da corrupção!

UM ALBERGUE ESPANHOL

Esta expressão remete-nos para os primeiros turistas que se deslocavam para norte e sul de Itália, pois atravessavam Espanha e os albergues nem sempre ofereciam comida suficiente. 

Era frequente nos albergues espanhóis  reinar grande confusão, portanto, havia muita falta de organização e uma grande barafunda...

"ser um albergue espanhol, onde impera a barafunda, a confusão...".

 

                       

 

O SISTEMA ESTÁ PODRE!

“Sempre que se quer fazer algo no país, surge um interesse organizado a opor-se.“

 Expresso 09-02-02                                          

O “ Sistema “ pode pôr o Homem a fazer tudo, até mesmo a engolir “ elefantes “ ou anestesiado e, na sua boa-fé, julgar-se uma criança crédula e feliz, mesmo sem brinquedos. Porém, que ninguém se engane e compreenda logo, que a criança depressa crescerá e se fará homem, percebendo então como foi violentada na sua infância. A sua reação será, então, proporcional à sua grande revolta.

Há poucos dias assisti, com os meus netos, a um show de araras amestradas. Espantosamente faziam tudo. Andaram de skate, bicicleta, patins e até fizeram cálculo aritmético com o auxílio de badaladas de sino! Tudo isto, é claro, a troco da usual recompensa comestível. O método do “ Sistema “ parece ter sido copiado deste ou de outros “shows” idênticos. Castiga ou premeia para melhor condicionar a vontade própria dos infelizes servos.

Será ele uma fatalidade? Também a famosa “ cortina de ferro “ parecia indestrutível.

Tal como nela, a revolta virá e irá explodir por dentro e por fora do “ Sistema”.

Se tudo o que existe na Terra morre implacavelmente, não morreria o “Sistema caduco?”

Tal como para o câncer ou para a sida, a cura virá um dia, também para o famigerado “ Sistema “ o seu antídoto irá aparecer.

Tudo o que não é natural, subverte a justiça e não premeia os melhores e mais merecedores, o sistema também tem de cair.

De volta, estarão então finalmente os valores, até agora remetidos para o esquecimento.

O segredo pode ir amortecendo a queda deste edifício medonho, mas não vai conseguir mantê-lo de pé eternamente.

As torres do “ World Trade Center “ eram de facto imponentes e em minutos ruíram de forma inesperada e brutal. Ainda há muita gente de bom senso e de bom carácter, espero que tenham coragem e despertem para se unirem em vontade de mudar, tudo aquilo que está podre.    

Portugal Refém dos Lóbis

“Financial Times vê-nos como um modelo esgotado, onde as reformas são travadas por todas as classes e com os piores níveis de qualificação, produtividade e absentismo. Um desafio difícil”.

DN Negócios 22-10-2002

 

 

Pág. 1/20