Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O ENTARDECER

O ENTARDECER

AS NOSSAS COMPETÊNCIAS POLÍTICAS

AS NOSSAS COMPETÊNCIAS POLÍTICAS

(janeiro de 2011) -A administradora do Banco de Portugal Teodora Cardoso e o professor de economia na Universidade do Porto João Loureiro vão integrar o grupo de trabalho sobre as contas públicas, que é presidido por António Pinto Barbosa.

Quarta-feira, 02.11.11

Teodora Cardoso diz: Tenho para mim que a diminuição das desigualdades sociais é uma condição sine quo non para garantir um crescimento sustentável.

É a justiça social que permite a existência de uma classe média com poder de compra (i.e. capaz de consumir sem recurso ao crédito). O aumento do poder de compra da classe média é a alavanca essencial para o crescimento sustentável dos diversos sectores de atividade.

Ler mais emhttp://www.cmjornal.xl.pt/nacional/politica/detalhe/teodora-cardoso-vigia-orcamento.html

Lusa -05-01-20011-

A administradora do Banco de Portugal Teodora Cardoso e a professora de economia na Universidade do Porto João Loureiro vão integrar o grupo de trabalho sobre as contas públicas, que é presidido por António Pinto Barbosa. Numa primeira fase, a escolha de João Loureiro não foi bem vista pelos sociais-democratas, dada a proximidade do docente universitário com o atual ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

Ler mais emhttp://www.cmjornal.xl.pt/nacional/politica/detalhe/teodora-cardoso-vigia-orcamento.html

CM – 18/3/2015 - O Conselho de Finanças Públicas (Teodora Cardoso) admite um crescimento económico acima de 2% anualmente a partir de 2016, se os cortes dos funcionários públicos forem retirados. A fim de aumentar o consumo público.

CM- 08/10/2013 - A presidente do Conselho de Finanças Públicas diz que cortes têm ...Pedro Lomba acusa PS de nunca ter inscrito apoio aos emigrantes nos fundos europeus... criticou, nesta terça-feira, o facto de os cortes na função pública estarem a ...quer arrecadar 20 milhões com extinção da “fundação Magalhães”  ...

 

NOTA: De uma atenta leitura, das afirmações proferidas pela Administradora/Presidente Conselho Fiscal do BP, Dr.ª Teodora Cardoso, militante do partido socialista, verificamos que ela só admite um crescimento de 2% em 2016, se forem retirados os cortes atuais aos funcionários públicos. Se for defendida e protegida a classe média.

Teorias à parte, não se compreende tanta preocupação com os funcionários públicos! Será uma questão de votos? Segundo parece têm a média salarial mais elevada do país! Têm regalias que mais ninguém tem no país!

Muito menos se compreende, o esquecimento “DOS REFORMADOS”, espoliados pela segunda vez neste país, do ABRIL de 1974!

Foram espoliados nos festejos do Abril de 74, com as nacionalizações das Caixas de Previdências e foram agora, novamente espoliados, para pagar uma austeridade que não originaram! !

Será que os reformados, nada tem que ver com o aumento do consumo? Será que as grandes limitações de saúde deles, não implicam para eles, grandes gastos? Já agora só mais outra notícia: “ 

 CM-15-05-2014 – “ Menos 60 mil famílias numerosas numa década! Mais filhos ficam em casa dos pais! Entre 2001 e 2011, o número de jovens, dos 18 aos 34 anos, a viver com os progenitores aumentou em Portugal, Lisboa e Algarve são as exceções”

Não posso imaginar a idade da Dr.ª Teodora Cardoso, mas já não será assim tão jovem, para tanta preocupação, bem paga!

Saiba a senhora, que neste país e com a revolução de Abril de 74, foram centenas e centenas de milhares de grandes e qualificados trabalhadores, postos em casa e no banco do jardim, com 50 ou pouco mais anos, de idade!

Tal como disse Jorge Sampaio:

 “ Os interesses em Portugal são mais fortes que o fraco poder político”